BLOG

Como diminuir a acne através da alimentação

18/12/2018 - Dicas nutritivas

Por que escolher orgânicos

11/12/2018 - Dicas nutritivas

Por detoxdecorpoealma.com

Pesquisas indicam que frutas e legumes orgânicos contém até 40% mais de antioxidantes do que seus equivalentes não orgânicos, e o leite orgânico pode conter entre 50 e 80% mais antioxidantes (substâncias que acreditam-se combater o câncer e outras doenças) do que o leite normal. Os pesquisadores admitiram no entanto, que ainda não conseguem explicar as causas dessa diferença. A fonte desse resultado é da BBC Brasil.

Existem algumas pesquisas que falam que resíduos de agrotóxicos em certos alimentos aumentariam a taxa de casos de Transtorno de Déficit de Atenção em crianças. A barreira hematoencefálica não está completamente formada até os 6 meses, por isso resíduos de agrotóxicos passariam essa barreira e não se sabe ao certo o que exatamente poderia causar.
Vale a pena pagar um pouco mais caro pelo alimento orgânico?Acreditamos que sim! Não só pela nossa saúde, mas pelo meio ambiente.

Você sabe o que faz um alimento ser considerado orgânico? Para ser considerado orgânico, o alimento in natura ou processado, deve ter sido cultivado sem adubos químicos, sem agrotóxicos ou alguma outra substância sintética. Essas substâncias são prejudiciais tanto à nossa saúde quanto à saúde do meio ambiente (ar, terra, água). A sistema de produção ou criação orgânica buscam a sustentabilidade econômica e ecológica, diminuindo a dependência de energia não renovável e empregando que possível métodos biológicos e mecânicos, ao invés do uso de materiais sintéticos.
Por exemplo, vamos falar da carne orgânica. Isso mesmo, não só as frutas e vegetais podem ser orgânicos.

Quais vantagens da carne orgânica para a saúde? Ao adquirir carne orgânica certificada, o consumidor tem a garantia de que está levando para casa um alimento completamente isento de resíduos químicos, pois a carne é produzida da maneira mais natural possível, com os animais sendo tratados principalmente com medicamente fitoterápicos e homeopáticos, vacinados e alimentados com pastos isentos de agrotóxicos. O processo de produção desta carne diferenciada garante o consumo de um alimento seguro e saudável.

Muitas vezes esses alimentos tornam-se mais caros, pois não são alimentos turbinados para crescer mais rápido, ou maiores. Além do seu cultivo ser mais lento, é mais difícil também, já que não é utilizada nenhuma substância que protege esses cultivos das pragas. Mas achamos melhor pagar um pouco mais caro agora, do que depois curar doenças causadas por essas substâncias.

Como saber se é orgânico? Se você pretende consumir alimentos orgânicos fique atento para não ser enganado. Procure sempre pelo selo de qualidade emitido por certificadoras reconhecidas pelo Ministério da Agricultura. São entidades como a Associação de Agricultura Orgânica (AAO), o Instituto Biodionâmico (IBD), entre outros. Essas entidades avaliam se a produção do alimento segue os critérios estabelecidos pela agricultura orgânica. Para ganhar o selo, os produtores seguem várias precauções e têm suas lavouras fiscalizadas a cada semestre. A presença do selo garante, portanto, a procedência e a qualidade dos produtos.

Hoje, já encontramos alimentos orgânicos mais baratos e de fácil acesso. Um exemplo disso é o Instituto Chão, em São Paulo. É um espaço voltado à economia social que vende produtos orgânicos de pequenos produtores sem buscar lucro, mas apenas espaço por meio de doações dos frequentadores.

O mundo está mudando… E a dieta também

Por detoxdecorpoealma.com

As palavras de ordem hoje em dia por aqui são:
SAÚDE E ANTI INFLAMATÓRIA

Como assim?
Simples! Ninguém emagrece DIREITO se não estiver saudável. E nem vale a pena emagrecer por emagrecer e continuar “estragado” por dentro.
Quanto à inflamação, está mais do que comprovado que está relacionada a ganho de peso, dificuldade de emagrecimento, edema, doenças auto imune e inflamatórias, ansiedade e até Alzheimer.
Portanto, a alimentação tem que cuidar dessa inflamação e o emagrecimento será consequência.

Nossa dica é começar o último mês do ano conhecendo a proposta da Hisnëk e agregar os snacks em sua alimentação mais saudável, tornando assim um ótimo aliado em prol de sua saúde.

Cozinhe seus alimentos de maneira saudável

27/11/2018 - Dicas nutritivas

Por detoxdecorpoealma.com

Culinária saudável não significa que você tenha que se tornar um chef gourmet ou investir em utensílios de cozinha caros.Você pode usar as técnicas básicas de cozinha para preparar alimentos de forma saudável.Usando técnicas de culinária saudável, você pode diminuir calorias indesejáveis, quantidade de gordura maléfica ao organismo e quantidade de sódio na preparação.

Assar:
Além de pães e sobremesas, você pode assar aves, carnes magras, legumes e frutas. Para assar os alimentos, coloque em uma assadeira ou tigela de vidro e leve ao forno. Você pode assar os alimentos cobertos com papel alumínio ou descobertos.
Geralmente assar não requer que você adicione gordura dos alimentos. Mas se quiser você pode adicionar azeite, suco de laranja em carnes ou aves para dar um gosto diferente. Tente canela e cravo nas frutas.

Refogar:
Coloque uma pequena quantidade de óleo de canola ou água e refogue primeiro os temperos, como alho, cebolas, ervas.
Acrescente o ingrediente a ser refogado. Depois se quiser, cubra com uma pequena quantidade de líquido, como água ou caldo. Em algumas receitas, o líquido de cozimento é utilizado mais tarde para formar um molho saboroso rico em nutrientes.

Grelhar:
Grelhar os alimentos é expô-los ao calor direto.
Para grelhar ao ar livre, coloque os alimentos em uma grelha acima de uma cama de brasas de carvão. Se você tem uma grade interna, siga as instruções do fabricante. Ou você pode usar uma grelha em cima do fogão. Unte com óleo de canola e deixe esquentar bem antes de colocar o alimento.

Cozinhar no vapor:
Prepare os alimentos (descasque, corte e tempere) e arrume-os em um cesto ou no recipiente do utensílio elétrico para cozinhar a vapor. Não deixe os alimentos muito apertadinhos para que o vapor circule.
Adicione água na parte de baixo da panela (3 a 5 dedos) , a não ser quando o equipamento já têm a indicação do volume de líquido a ser adicionado. Essa água pode ser temperada com alho em rodelas, ervas, folha de louro, gengibre fatiado. Isso pode dar mais sabor a preparação. Cuidado para o alimento NÃO encostar na água!
Deixe a água ferver primeiro. Então abaixe o fogo, encaixe o cesto com os alimentos e…
Feche bem a panela, para o vapor não sair. Enão abra a panela durante o cozimento, a não ser que precise completar a água.
Deixe uma chaleira com água fervendo em “stand by” para o caso de precisar completar a água. Assim, você mantém a temperatura.
Coloque os alimentos mais duros para cozinhar primeiro e vá adicionando os mais moles com o passar do tempo. Dessa maneira eles vão cozinhar por igual e nenhum alimento ficará muito duro ou muito mole!

Cozinhar a vapor é MUITO legal! você mantém vitaminas, minerais, textura, sabor e cor dos alimentos! Utilizar ervas e especiarias:
Crie receitas utilizando especiarias e ervas é uma das melhores maneiras de adicionar cor, sabor e aroma aos alimentos sem adição de sal ou gordura.
Escolha ervas frescas que estejam brilhantes e não murchas, e adicione-as nos 20 minutos finais do cozimento. No caso da utilização de ervas secas, a quantidade ideal é a metade do que utilizaria de ervas frescas.

Cozinhe com prazer e Bon Appétit!

Você sabe o que é fadiga adrenal?

20/11/2018 - Dicas nutritivas

Por detoxdecorpoealma.com

 

Atualmente é muito comum os desequilíbrios da glândula adrenal, quando ela está cansada o nosso corpo apresenta diversos sintomas. A medicina ocidental não reconhece a fadiga da glândula adrenal, somente a doença de Addison, que é quando a glândula já não está funcionando há um tempo. Entretanto, se nós pudermos avaliar o seu funcionamento e trazê-la de volta ao seu melhor, sua vida será muito mais satisfatória, sua energia será restaurada e você se sentirá completamente transformado.
E como saber se a minha adrenal não está funcionando bem?

Segue abaixo uma lista com os principais sintomas:
-Suor excessivo;
-Dor lombar e/ou nos joelhos;
-Olheiras exacerbadas;
-Tontura;
-Espasmos musculares;
-Glicemia baixa;
-Palpitações;
-Sensibilidade a luz e dificuldade de enxergar a noite;
-Desejo por comida salgada;
-Baixa resistência ao estresse/irritabilidade;
-Infecções crônicas (bacterianas, virais ou fúngicas);
-Pressão baixa;
-Sono ruim;
-Cansado o dia inteiro e a noite sente-se energizado;
-Vontade urgente de comer doces;
-Envelhecimento precoce;
-Pele seca;
-Baixa libido;
-Problemas na tireóide;
Se você se identificou com esses sintomas, procure seu médico e nutricionista para que possam te auxiliar. As glândulas adrenais são vitais para o nosso sistema imunológico e também ajudam a tireoide a funcionar adequadamente, ou seja, são de extrema importância que estejam funcionando satisfatoriamente.

COMO MELHORAR DA FADIGA ADRENAL DE FORMA NATURAL?
-Durma bem! Isso significa que você deve ir dormir todos os dias entre 22 e 22:30hs;
-Elimine o açúcar e os carboidratos altamente processados, eles deixam as adrenais super estressadas;
-Coma proteína animal leve, frutas e vegetais orgânicos, castanhas, sementes e gorduras de boa qualidade;
-Pare com o hábito do café (ele só está servindo de muleta) e beba muita água;
-No seu café da manhã consuma proteína e gordura boa;
-Use ervas para temperar a sua comida e também faça uso de chá de alcaçuz (com orientação);
-Suplemente magnésio antes de dormir (com orientação);
-Probióticos são de extrema importância.

5 dicas para melhorar a saúde do seu cérebro

6/11/2018 - Dicas nutritivas

Por detoxdecorpoealma.com

1) Coma como se você morasse no Mediterrâneo
Estudos mostram que quanto mais seguir a dieta do mediterrâneo (por exemplo, peixe, frutas frescas e legumes, nozes, legumes, especiarias, azeite extra virgem), mais nosso cérebro pode ser protegido do declínio cognitivo e da demência, especialmente se temos diabetes tipo 2, quando o risco aumenta duas vezes. Uma vez que o declínio da função cerebral está ligado ao equilíbrio de açúcar no sangue, é importante considerar uma dieta mediterrânea “modificada” para que você não coma muito dos carboidratos de alto índice glicêmico que podem aumentar o nível de açúcar no sangue. Coloque o foco em leguminosas de alta fibra, grãos integrais sem glúten e nozes para ação estabilizadora de açúcar.

2) Coma os azuis, pink, roxos
Alguns estudos sugerem que os mirtilos e as frutas vermelhas e roxas são superstars do cérebro. Nestes estudos, a suplementação de mirtilo na dieta de ratos durante várias semanas levou a mudanças notavelmente benéficas na aprendizagem e na memória. É fascinante como a suplementação de mirtilo parece desempenhar um papel em reesculpir o cérebro de forma a torná-lo mais “plástico” ou flexível em relação à comunicação entre neurônios. Os pesquisadores chegaram a afirmar que os mirtilos podem ajudar a reverter o envelhecimento cerebral. O equivalente humano utilizado no estudo foi calculado para ser cerca de meio copo de mirtilos por dia.

3) Tempere com curry e açafrão em pó
A curcumina, que vem de açafrão, é um composto anti-inflamatório e antioxidante muito poderoso. Os pesquisadores teorizaram que as taxas historicamente baixas de demência na Índia são por causa do uso do curry. Quando se trata do cérebro, não só a curcumina pode proteger as células cerebrais, mas também pode impedir a acumulação de proteína, beta-amilóide, uma das características da demência. Você pode usar o curry de qualquer maneira que você quiser – um dos meus favoritos é fazer um curry de salmão (onde você também obtém os benefícios das gorduras ômega-3 no salmão juntamente com a curcumina no curry!) Ou até incluir em um smoothie, com amêndoas, leite de coco, algumas tâmaras em pedaços e uma colher cheia de açafrão em pó!

4) Mova-se
isso mesmo – basta mover o seu corpo! Escolha qualquer forma que você quiser, e o que você for fisicamente capaz. Seja qual for o seu movimento de escolha, tente incorporar alguma atividade aeróbica, ciclismo, yoga, caminhadas, corrida, natação, andar de bicicleta. Faça caminhadas, mesmo as curtas, mas faça-as regulares ao longo da semana. O cérebro prospera em oxigênio e precisa que ele funcione bem. Ao praticar algum exercício aeróbio, você reabastece o cérebro com o combustível que ele requer. Estudos mostram que a atividade física ajuda a melhorar a integridade de sua matéria cerebral e pode ajudá-lo a manter a informação por um longo período de tempo em relação ao não exercício.

5) Diminua o estresse
O estresse encolhe certas partes do cérebro. Portanto, é essencial escolher uma prática de modulação de estresse que você goste, seja yoga, meditação ou mindfulness. Estudos mostram que a yoga pode ter alguns benefícios na promoção de um humor saudável, e as sessões de meditação podem fazer o mesmo. Na verdade, um estudo mostrou que quanto mais se medita, melhor o humor e menor a quantidade de inflamação no corpo! A meditação também pode ajudar a promover o fluxo sanguíneo saudável para o cérebro, o que significa que você está fornecendo mais oxigênio e nutrientes para o tecido precioso. A prática de mindfulness ajuda a ajustar a capacidade de prestar atenção e até leva a aumentos na densidade da matéria cinzenta cerebral, o que é bom se seu cérebro estiver estressado e encolhido.

10 dicas para perda de peso

30/10/2018 - Dicas nutritivas

Por detoxdecorpoealma.com

Você quer emagrecer com saúde, perder peso sem ficar no efeito sanfona?
Então aperte o play!

Como a alimentação pode influenciar no combate a candidíase

23/10/2018 - Dicas nutritivas

Por detoxdecorpoealma.com

Você que pensa que a candidíase não tem relação nenhuma com a alimentação, esta muito enganada! A dieta merece muito destaque nessa situação, pois dependendo do que come, você está alimentando seu inimigo.
Para você que ama doce, cuidado! O açúcar altera o pH da vagina de modo a favorecer a proliferação dos fungos. Então é preciso restringir doces, balas em geral, mel e produtos industrializados adoçados. E não estranhe se o desejo de doce aumentar. As diversas substâncias que os fungos produzem e liberam no processo de digestão despertam em nós a vontade de consumir os alimentos úteis à sobrevivência deles.

Mas o açúcar não é o único vilão. Outros carboidratos refinados e simples, como macarrão, pão e arroz brancos, também fazem a alegria dos fungos que causam a candidíase. Por ter digestão rápida, esses alimentos logo elevam a taxa de açúcar no sangue, daí a importância de serem substituídos pelas versões integrais, ricas em fibras.
Em excesso, a frutose (açúcar das frutas) pode ser nociva no caso da candidíase também. Essa substância também é encontrada no xarope de milho, largamente usado na indústria alimentícia.

Por isso, confira na embalagem e passe longe dos produtos que abusam desse ingrediente. Mas você não precisa abrir mão de um alimento tão saudável quanto as frutas frescas. Consuma de três a quatro porções por dia, dando preferência àquelas com baixo índice glicêmico (morango, pera, pêssego, maçã e ameixa) – ou seja, que são absorvidas mais lentamente. Esqueça também os sucos de fruta, pois a taxa de frutose tende a ser alta. Prefira a fruta inteira e in natura. Faça o mesmo com as frutas secas que recebem adição de açúcar (banana passa, figo e abacaxi secos) ou são vendidas a granel. As frutas que ficam muito tempo expostas ao ar e à claridade favorecem a proliferação dos fungos.

É ainda mais importante você manter distância de pães (e outras massas que levam fermento biológico, caso da pizza), queijo gorgonzola, vinagre, vinho e cerveja. São alimentos e bebidas fermentados pela ação de fungos, o que pode confundir o sistema imunológico e desequilibrar os microrganismos que vivem naturalmente no intestino. Os produtos em conserva (picles e palmito), embutidos e todos os cogumelos (do champignon ao shiitake) também estimulam o crescimento fúngico e, portanto, devem ser evitados quando a candidíase está na fase aguda.
A boa notícia é que existem alimentos com ação antifúngica comprovada, merecendo lugar de destaque no cardápio.

São eles: orégano, alecrim, tomilho, alho e cebola. Procure consumi-los todos os dias, em diferentes pratos e refeições. Outras boas pedidas são as sementes de abóbora e os óleos de orégano e de coco extravirgem (use o primeiro para temperar pratos salgados e o segundo batido no iogurte). A romã é mais uma aliada: prepare um suco com a polpa e as sementes.
Os lactobacilos reorganizam a flora intestinal e, por isso, também são grandes aliados contra os fungos inimigos. Esses probióticos (bactérias do bem) são encontrados em iogurtes e no kombucha.

E os prebióticos? Capazes de nutrir as bactérias benéficas do intestino, eles também são bem-vindos para deixá-la mais resistente. A lista inclui biomassa de banana verde (pode ser adicionada no suco e na salada de frutas) e batata yacon – tubérculo originário dos Andes com o poder de reduzir a taxa de açúcar no sangue e deve ser consumido cru como uma fruta.
Folhas verde-escuras, verduras e legumes, alimentos integrais, frutas frescas, peixe, frango orgânico, raiz da chicória e alcachofra também são essenciais na dieta anticandidíase. Eles equilibram a flora intestinal deixando o ambiente menos atrativo para os fungos.

As sementes de chia e linhaça, assim como quinua e aveia, são úteis por outras razões: ajudam a reduzir o índice glicêmico da refeição, evitando picos de açúcar no sangue e, com isso, diminuem o risco dos fungos se manifestarem.

Alimentação e doença autoimune

16/10/2018 - Dicas nutritivas

Por detoxdecorpoealma.com

Há muitas histórias inspiradoras de pessoas que superaram doenças autoimunes simplesmente por mudanças de estilo de vida.

Nas doenças autoimunes, o corpo ataca as células saudáveis do corpo ao invés de antígenos externos. Os antígenos podem ser bactérias, toxinas, vírus, células de cancerígenas, entre outros. Seu corpo produz anticorpos que ajudam a matar esses antígenos. Quando você sofre de uma doença autoimune, o sistema imunológico não consegue distinguir entre células saudáveis e antígenos, destruindo as células saudáveis. Isto pode acontecer em vários tecidos corporais.

Além disso, ainda não tendo cura, as doenças autoimunes também não têm uma causa aceita. Há algumas teorias que tentam explicar as causas dessas doenças. Uma teoria é que os microorganismos ou as drogas podem causar mudanças que confundem o sistema imunológico. Isso pode estar acontecendo devido a fatores genéticos.
A genética, certamente, desempenha um papel nas doenças autoimunes.

Embora a ciência possa parecer um tanto sombria, há muitas histórias maravilhosas de pessoas colocando essas doenças em remissão simplesmente mudando sua dieta e estilo de vida.
Ao lidar com uma doença autoimune, o ideal é equilibrar a flora intestinal e a permeabilidade intestinal, consumindo alimentos probióticos, como iogurte “de verdade, fermentados, kombucha e evitar alimentos alérgenos e altamente inflamatórios como: leite e derivados, carne vermelha, glúten, alimentos ultra processados. Alimentos ricos em ômega 3 como a sardinha e a semente de linhaça devem ser ingeridos com frequência, além do açafrão da terra e gengibre, todos esses anti inflamatórios.

7 atitudes para tornar a sua dieta mais eficaz

9/10/2018 - Dicas nutritivas

Por detoxdecorpoealma.com

Fazer uma reeducação alimentar costuma gerar uma sensação de privação para aqueles que seguem a dieta e as orientações do nutricionista à risca. A mudança de hábitos, porém, deve ser gradual: escolhendo melhor as refeições e não abdicando dos pequenos prazeres à mesa, só que tudo na quantidade certa. Além disso, ao tornar o regime mais agradável, o comprometimento com a perda de peso aumenta e o objetivo é alcançado com maior facilidade. Saiba sete maneiras criativas para tornar a sua dieta ainda mais eficaz:

1. Conte as mastigadas

Conte as mastigadas, mastigue 20 vezes cada garfada. Procure comer acompanhando as outras pessoas da sua mesa, normalmente, quando comemos sozinho, comemos mais rápido para acabar logo. Apoie os talheres na mesa após cada garfada. Só prepare a próxima garfada depois que já engoliu a anterior. Na hora da refeição, desligue a televisão e o computador ou qualquer aparelho que possa tirar a sua concentração.

2. Explore Novos Sabores

Temperos, frutas exóticas, pratos novos. Experimente de tudo! Isso faz com que a dieta saia da rotina e continue fácil de segui-la. Em vez de pensar no que você não poderá comer, você deve pensar no que poderá! Novos sabores, texturas e muitos novos alimentos que não fazem parte da sua rotina alimentar poderão ser provados.

3. Crie compensações

Sistema de recompensas é como um jogo no qual, quando você atinge o seu objetivo, o seu esforço é valorizado. Com o regime, deve funcionar igual: você estipula várias metas, desde as mais simples e fáceis de alcançar até aquelas mais complicadas que requerem mais esforço e tempo, e ao atingir cada meta você estipula um tipo de recompensa para si mesmo. Um exemplo: quando você perde três quilos, você tem direito a fazer uma massagem corporal ou se dar de presente um jeans novo de tamanho menor. Só lembre-se de escolher presentinhos possíveis e que não vão estourar seu orçamento. O sistema de recompensas é saudável, mas não recompensas ligadas à comida, senão você corre o risco de colocar tudo a perder.

4. Escolha pratos e copos e regular o tamanho

Na hora de escolher pratos e copos muita gente acredita que tanto faz o modelo e que o importante é a durabilidade das louças. Entretanto, ao comprar um modelo mais bonito com alguma cor ou estampa da sua preferência, você torna a refeição mais agradável. Além disso, ao utilizar um prato de sobremesa em vez do de tamanho normal ou um copo menor para almoçar ou jantar, você diminui a ingestão de calorias e acaba comendo menos. Ao mesmo tempo, o prato vai aparentar estar cheio e o copo também, isso trará uma grande satisfação e até saciedade, mesmo com uma menor ingestão de alimentos e líquidos.

5. Tire fotos do antes e depois

Sabia que as fotos podem ser grandes aliadas na perda de peso? Muitas pessoas costumam se motivar a iniciar uma reeducação alimentar ao se verem fora de forma em fotografias. E, a cada 15 dias, tirar uma foto e ver como anda a transformação do seu corpo pode te motivar ainda mais a continuar com a dieta e com os exercícios físicos. Mas, lembre-se: se você ficar tirando foto todos os dias o efeito pode ser negativo, e você vai sentir que não está perdendo peso. O espaço de 15 dias entre cada foto é fundamental para que você possa observar as mudanças no seu corpo a cada período. Uma boa tática é: se você já pesou menos algum dia, espalhe pela casa, na porta da geladeira, dos armários da despensa, aquela sua foto com o corpo, que você adora.

6. Crie um diário alimentar

Escrever o que você anda fazendo e comendo no dia a dia diminui a ansiedade e traz resultados muito positivos para a dieta. Ao escrever sobre o que você consome ou quanto você malha, dá para verificar onde é que você está errando ou exagerando, contribuindo para uma perda de peso mais rápida.

7. Organize a cozinha de maneira prática

Arrumar a cozinha pode ser divertido e beneficiar (e muito!) a dieta, pois você pode escolher o que deixar à mão – os alimentos saudáveis – e esconder as tentações. O primeiro passo é não ter em casa aquilo que você sabe que é difícil de resistir. E se tiver filhos ou morar com outras pessoas, peça para que guardem esses alimentos num local mais escondido, longe de seu campo de visão. Organize sua despensa e geladeira e deixe em seu campo de visão, os alimentos mais favoráveis a sua dieta. E o mais importante: tenha sempre ingredientes básicos à mão: nozes, frutas secas, frutas, queijos magros, iogurtes, barrinhas, adoçante, leite desnatado, carnes magras, atum em lata (light), arroz integral, grãos e cereais integrais.